Resumo da Sacola

x
Valor Total
R$ 0,00

Sua sacola está vazia!

Este site utiliza também cookies de terceiros para lhe enviar publicidade de acordo com as suas preferências decorrentes da sua atividade de navegação. Os dados coletados através de cookies serão enviados e armazenados em servidores na Europa e nos Estados Unidos. Se você continuar a navegar neste site, se você fechar este banner, rolar a página ou selecionar uma parte deste site, você concorda com o uso de cookies e com a transferência e armazenamento de seus dados na Europa e nos Estados Unidos.
Campanha Fw21

CONFIRA O VÍDEO

LIGA ESPORTIVA VR

A VR Collezioni, sempre ligada ao mundo esportivo e a sua ideologia de superação, desafios e um lifestyle único, apresenta agora em 2021 a sua LIGA ESPORTIVA VR.

Convidamos quatro dos atletas mais promissores no Brasil em diferentes modalidades para encabeçar um ano tão importante para o esporte mundial. São eles: Felipe dos Santos do decatlo; João Menezes do tênis; Eduardo Katsuhiro Barbosa do judô e João Luiz Gomes Júniorda natação; todos com títulos dos mais expressivos em suas categorias e já se preparando para o os jogos a serem realizados em Tóquio.

Num momento em que todos tivemos que repensar nosso estilo de vida, passamos a usar roupas mais confortáveis e leves próprias para o movimento como diz a própria MOOVING COLLECTION, com peças em algodão pima, malha, nylon e outros tecidos tecnológicos tão bem vestidos pelo nosso time e com tudo a ver com o mundo esportivo.

Com tantas mudanças acontecendo, um ponto é certo: nossa torcida, mesmo que à distância, é garantia certa para nossa Liga Esportiva VR.
 

Campanha FW21

SHOP NOW

FELIPE
DOS SANTOS

>> DECATLO

Aos 26 anos de idade, Felipe dos Santos é representante do esporte que é 10 em 1, o decatlo. Nele, o atleta deve se dividir entre dez modalidades de atletismo – 100m rasos, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400m rasos, 110m com barreiras, lançamento de disco, salto com vara, lançamento de dardo e 1500m – fazendo com que sua rotina seja muito dinâmica e cheia de organização a fim de conseguir treinar todas as modalidades do esporte.
 

Com premiações importantes como a medalha de ouro no Troféu Brasil Caixa de Atletismo, Felipe conquistou dois recordes pessoais nesta premiação: 7,64 m no salto em distância - 2,07 m no salto em altura. “Fiquei um pouco desacreditado, mas agora dei a volta por cima e tenho de agradecer a muita gente que sempre me apoiou.”

“Eu aprendi que a gente tem que ter muita paciência. Tive lesões e tive que ter muita resiliência pra superar esses desafios tanto físicos quanto nas provas e hoje conquistar meus índices.”
 

EDUARDO KATSUHIRO BARBOSA

EDUARDO KATSUHIRO BARBOSA

>> JUDÔ

Após títulos como a medalha de ouro no Pan-Americano Sênior 2017, bronze no Grand Prix de Zagrebe 2017 e 5º no Grand Slam de Ecaterimburgo 2019, ganha a primeira medalha de prata em terras húngaras, um revés para os japoneses, sempre favoritos em qualquer competição na modalidade. Assume o 38ºlugar do ranking mundial, sendo o primeiro brasileiro a chegar ao posto.

×

“As coisas vão acontecendo para quem se dedica, quem se esforça... E hoje estou nessa posição de favorito para competir nos próximos jogos, mas isso eu só consegui com muito esforço.”

De Registro, pequena cidade do interior paulista, a família de Katsuhiro Barbosa se mudou para Hamamatsu, uma das cidades mais brasileiras do Japão. Ali, aos seis anos de idade, o atleta teve o primeiro contato com treinos no judô, modalidade que mais deu medalhas na história do o Brasil, sob influência do pai, o sensei Edson Barbosa e de sua irmã mais velha, Danielli Yuri Barbosa, atleta de altíssimo nível e que tem no currículo a prata nos Jogos Pan Americanos de 2007 e a participação nos Jogos de Pequim, em 2008, onde Eduardo assistiu da arquibancada e agora se inspira.

myAccount

JOÃO MENEZES

>> TÊNIS

Natural de Uberaba, Minas Gerais, João Menezes começou a jogar tênis por influência da família aos 4 anos de idade. Em 2014 joga as chaves juvenis de Roland Garros e Wimbledon. No ano seguinte sofreu contusão no Future de São Paulo e passou por 3 cirurgias no joelho esquerdo, afastando-se do circuito por quase um ano.

Em 2016, passou a treinar em Barcelona e no ano seguinte, vence o Future de Oviedo. “Ali realmente eu tive que aprender a superar obstáculos maiores. Não só no esporte, mas pela distância da minha família. Aprendi muita coisa, moldei minha personalidade de batalhador e me tornei mais aguerrido, me fiz mais forte.”
 

Em 2019, teve o seu melhor ano na carreira até agora, no Pan-Americano de Lima, vencendo o chileno Nicolas Jarry nas quartas-de-final e garantindo vaga nas Olimpíadas de Tóquio. Caso tivesse passado pelo qualifying no US Open, teria enfrentado Roger Federer na primeira rodada da chave principal. Com os pontos conquistados ascende top 200 pela primeira vez na carreira na 194ª posição, com 24 anos completados. “(...) Foi a melhor sensação da minha vida como atleta. É indescritível subir no pódio com a bandeira e a medalha no peito, é a melhor sensação para um atleta.”

“Agora com o que vem pela frente, não posso controlar o que vou ter na competição e nessa situação de pandemia, mas o que eu posso controlar é a minha preparação, meu treino, mas no tênis a gente se prepara mais jogando e competindo do que treinando. Estes tempos têm sido realmente um desafio.”

JOÃO LUIZ
GOMES JR

>> NATAÇÃO

Um dos maiores expoentes da natação atual, João Luiz Gomes Júnior tem 34 anos e seguramente é uma das grandes promessas de medalhas, mantendo a tradição da natação brasileira.

Com títulos como medalha de ouro no Aberto de Paris de 2009, nos 50m peito, medalha de prata em Medelín, Troféu Maria Lenk na prova dos 100m peito dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016 do RJ, melhor marca do mundo no ano, quase batendo o recorde.

“Nesse mesmo ano tivemos a Rio 2016, e esses jogos mudaram totalmente o formato de se ver uma competição, muito também por causa do público brasileiro. Pra nós, atletas brasileiros, foi mais marcante ainda. Tivemos o privilégio de competir em casa e tão cedo isso não deve acontecer de novo, inclusive para as próximas gerações. A emoção é única.”

Ainda duas vezes o recorde nas Américas, obtendo a medalha de prata no Campeonato Mundial de 2017, quebrou novo recorde nos 50m peito no Troféu Maria Lenk de 2019 e ainda nos Jogos Pan-Americanos de 2019, em Lima, conquistou o ouro nos 100m peito, ouro no revezamento e prata no revezamento 4×100m medley.

“Já fiquei sem competir por três centésimos. É muito difícil, a gente perde mais do que ganha, mas temos que ser perseverantes. É a resiliência que leva a gente mais pra frente e cada suor leva a colher algo maior lá na frente.”

Voltar ao topo